Que mimo de Geologia 12ºG

Novembro 29 2010

                                      

 www.geosyntech.it/geofisica.htm

publicado por tjgeologia às 17:47

Novembro 29 2010

                            

  tic.ipiaget.org/.../correntesconvecao.jpg

 

A Terra é uma máquina térmica devido à presença de material a elevadas temperaturas no seu interior. Uma origem deste calor interno pode ser a libertação de quantidade de calor remanescente de fenómenos de acreção aquando a formação inicial do planeta, resultante de bastantes impactos de corpos celestes como por exemplo os meteoritos e asteróides, que ao colidirem permitiram a acomulação de uma enorme quantidade de enegia no interior da Terra.

 

Muito deste calor é libertado para o exterior através de movimentos convectivos, sob a forma de materiais a elevadas temperaturas e pouco densos que ascendem, por exemplo, no eixo das dorsais oceânicas ou em outras zonas, denominadas pontos quentes.

 

Texto excrito por António e Abel com o auxílio do livro de Geologia 12º ano.

 

 

publicado por tjgeologia às 17:20

Novembro 25 2010

 

1.bp.blogspot.com/_n-7_10d66YA/S0N0XSe-TNI/AA...

 

 

O magnetismo está presente por toda a Terra...

 

 

img117.imageshack.us/.../3903/auroraboreal1h.jpg

publicado por tjgeologia às 15:55

Novembro 25 2010

 

 www.educarchile.cl/.../dorsal_oceanica.JPG

publicado por tjgeologia às 15:50

Novembro 24 2010

                

mundogeografico.sites.uol.com.br/geolo04.html

 

 biogeo10b.blogspot.com/2009/12/como-

 

 A mobilidade contineltal, foi debatida antes e após a morte de Wegener, sendo considerada nas décadas seguintes como excêntrica e improvavel pela maior parte da comonidade científica de então.

  A teoria da Deriva Continental transformar-se-ia na "bomba" que explodiu na comunidade científica da época, de tal modo fez surgir uma nova maneira de ver a Terra. Contudo, apesar das evidências, a proposta de Wegener não foi tão bem recebida, pela comunidade científica, como se possa pensar, embora estivesse, em grande parte, de acordo com a informação científica disponível, naquele tempo. Uma fraqueza fatal na teoria de Wegener era o facto de não poder responder satisfatoriamente à pergunta mais importante levantada pelos seus críticos: que tipo de forças podia ser tão forte para mover massas de rocha contínua tão grandes ao longo de tais distâncias tão grandes? Wegener sugeriu que os continentes se separavam através do fundo do oceano, mas Harold Jeffreys, um geofísico inglês notável, contra-argumentou, de modo científico, que era fisicamente impossível para uma massa de rocha contínua tão grande separar-se através do fundo oceânico sem se fragmentar na totalidade.

 Após a morte de Wegener estudaram-se novas ideias e novas evidências a partir a exploração dos fundos oceânicos bem como estudos geológicos e tambem geofísicos. Com a efectuação destes estudos o interesse pela teoria e tambem pelos estudos foram maiores levando ao desenvolvimento da Tectónica de Placas

 

Texto escrito por António e Abel.

 

publicado por tjgeologia às 15:31

Novembro 07 2010

Podemos costatar, até aqui, que a hipotese de Wegener era apoiada por um grande número de dados, nomeadamente geofísicos, geológicos, paleontológicos e paleoclimaticos. A verdade, porém, é que lhe faltava um "motor" responsável pela deriva. Este facto costitui  um dos argumentos em que se baseavam os seus opositores. Deste modo a Teoria da Deriva dos Continentes foi fortemente criticada.

 

                                             

domingos.home.sapo.pt/tect_placas_1.html

 

Alguns cientistas críticos de Wegener defendiam, por exemplo, a existencia remota de pontes intercontinentais, que posteriormente teriam sido erodidas, o que explicaria a semelhança encontrada entre fósseis de continentes distantes.

Algumas condições sociais da época terão sido também responsáveis pela não aceitação da Teoria da Deriva dos Continentes pela comonidade cíentifica, nomeadaente ofacto de Alfred Wegener ser alemão e isso dificultar a comunicaçao e divulgação das suas ideias. A falta de de acessibilidade  e eficiência nos meios  de informação, bem como a pouca frequência de reuniões da comunidade científica dessa época foram outros factores que contribuíram para a enexistência de debate sobre a teoria da deriva continental.  

 

Texto escrito por António e Abel com o auxílio do livro de Geología 12º (Porto Editora)

publicado por tjgeologia às 17:54

Novembro 07 2010

                          

 

No Outono de 1911 em Marburg, Wegener pesquisava na biblioteca da universidade quando se deparou com um artigo científico que registava fósseis de animais e plantas idênticos encontrados em lados opostos do Atlântico. Intrigado com este fato, Wegener iniciou uma pesquisa, com sucesso, de outros casos de organismos semelhantes separados por oceanos. A comunidade científica ortodoxa da época tentou explicar esses casos afirmando que pontes terrestres, hoje submersas, em tempos ligaram os continentes. Wegener notou também que as costas de África e da América do Sul se encaixavam. Poderiam então as semelhanças entre organismos dever-se não à existência de pontes terrestres, mas ao fato de os continentes em tempos terem estado ligados?

Uma teoria destas, para ser aceita, necessitaria de uma grande quantidade de provas que a suportassem. Wegener descobriu então que grandes estruturas geológicas em diferentes continentes pareciam ter ligação. Por exemplo, os Apalaches na América do Norte ligavam-se à terras altas Escocesas e os estratos rochosos existentes na África do Sul eram idênticos àqueles encontrados em Santa Catarina no Brasil (Argumento Morfológico). Ao encontrar vestígios de glaciares em continentes com clima tropical, Wegener admitiu que no passado esses continentes ocupariam outra posição possivelmente mais próxima da Antárctida (Argumento Paleoclimático). O meteorologista constatou também que fósseis muitas vezes encontrados em certos locais indicavam um clima muito diferente do clima dos dias de hoje. Por exemplo, fósseis de plantas tropicais encontravam-se na ilha de Spitsbergen no Ártico (Argumento Paleontológico). . Descobriu também que rochas com a mesma idade e do mesmo tipo ter-se-iam formado ao mesmo tempo numa altura em que os continentes tinham estado juntos (Argumento Geológico). Todos estes factos suportavam a teoria de Alfred Wegener da deriva continental Em 1915 a primeira edição de A Origem dos Continentes e Oceanos, onde Wegener explicava a sua teoria, foi publicada, sendo procedida de outras edições em 1920, 1922 e 1929. Wegener afirmava que há cerca de 300 milhões de anos os continentes formavam uma única massa, Pangéia (do grego "toda a Terra"). A Pangéia fragmentou-se e os seus fragmentos andaram "à deriva" desde então. Wegener não foi o primeiro a sugerir que os continentes estiveram em tempos ligados, mas foi o primeiro a apresentar provas extensas de vários campos de estudo.

 

Origem:google-Wikipédia, a enciclopédia livre.

publicado por tjgeologia às 17:48

Novembro 07 2010

                  

 

Fotografia de objectivos próximos e com pequena profundidade de campo, fotografada por António e Abel.

 

publicado por tjgeologia às 17:23

Novembro 07 2010

                 

www.fotografia-dg.com/regra-dos-tercos/

 

publicado por tjgeologia às 17:06

Novembro 02 2010

A geologia pode ser definida como a disciplina que realiza o estudo cientifico da Terra como planeta. Ao longo de vários séculos, muitos cientistas tiveram como missão realizar o estudo do nosso planeta ; no entanto formalmente pode dizer-se que a Geologia como ciência é relativamente jovem. A moderna Geologia nasce no inicio do XIX, quando vários cientistas começam a realizar sistemáticas e detalhadas observações em rochas e fosseis. Mesmo numa ciência jovem como a Geologia ocorreram revoluções, sendo a mais importante a que aconteceu em meados do século XX na década de 60. Neste período surge a Teoria da Tectónica de Placas, teoria que constitui um mudelo unificador em Geologia.

 

Porto Editora - Rua da Restauração, 365 4099-023 Porto. Portugal

publicado por tjgeologia às 10:20

Neste blog iremos debruçar diversos conteúdos a cerca de estudo no âmbito da disciplina de Geologia no 12º da turma G da Escola Secundaria De Fafe ! Esperemos que gostem e que desfrutam do nosso trabalho realizado que reza a lenda que e magnifico !
Novembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
26
27

28
30


pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO